Proportion
Categories: Notícias

A Segunda Seção do STJ reafirmou o entendimento de que compete ao juízo da recuperação judicial ordenar medidas constritivas do patrimônio de empresa sujeita ao procedimento recuperacional, a despeito de haver execução fiscal em andamento contra ela.
Cumpre lembrar que a Lei 14.112/2020, que promoveu alterações na Lei de Recuperação e Falências, é no sentido de que o juízo da recuperação tem competência para determinar a substituição dos atos constritivos que recaiam sobre bens de capital essenciais à manutenção da atividade empresarial, a ser exercida mediante cooperação jurisdicional com o juízo da execução fiscal.

Se gostou, compartilhe, marque, divulgue, reposte!

Quer saber mais informações? Acesse nossos canais:
OPELEGIS1(Instagram, Facebook, LinkedIn e YouTube)

Dra. Raquel Corazza
Opelegis Consultoria Empresarial
opelegis@opelegis.com.br

#stj#recuperaçãojudicial#execuçãofiscal#opelegis1#opelegisconsultoria